*Com o objetivo de apresentar um comentário ao mesmo tempo informativo e opinativo, a EDAP estreia hoje sua segunda editoria de conteúdo: o Drops EDAP. Confira abaixo o conteúdo da primeira edição:

A pauta liberal do ministro Paulo Guedes, que aparou as arestas da candidatura Bolsonaro, tem novo desafio pela frente. Certamente não é o maior deles, mas é emblemático por envolver a indústria automobilística.

Nos idos de 2002, o Acordo de Complementação Econômica com o México (ACE 55) estabeleceu o livre comércio de produtos automotivos a partir de 2011. Após sucessivas mudanças, que, por exemplo, postergaram o livre comércio de veículos pesados e ônibus para 2020 e criaram cotas para importação de automóveis (isenção da tarifa até um limite do valor total importado), foi acordado em 2015 que o livro comércio de veículos leves passaria a vigorar finalmente em março de 2019.

Reportagem de Raquel Landim (Folha de São Paulo, 26/02/2019) mostra que esse cronograma parece não ter atendido às necessidades das montadoras brasileiras. O título é explicativo do conteúdo: “Em meio à crise, montadoras pedem a Guedes que adie livre comércio de carros com México.

Já o governador João Doria anunciou o IncentivAuto (Folha de São Paulo, 08/03/2019), programa de incentivo à indústria em nada diferente do que sempre se fez: bilionários benefícios fiscais.  A Folha de São Paulo, em editorial no dia 12/03, criticou o governador: “Marcha à Ré – Dória repete receita custosa e pouco eficaz”.

Vamos ver como se comportará o ministro, que se propôs a “salvar a indústria brasileira apesar dos industriais brasileiros“, administrando doses não homeopáticas de liberalismo.

Comentários:

Acesse o post do artigo no LinkedIn.

Compartilhe em sua rede: